Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), somente no Brasil existem mais de 30 milhões de animais abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães. Nas grandes cidades, para cada cinco habitantes há um cachorro.

Destes, 10% estão abandonados.

Adote um adulto!

O destino desses cães é sempre incerto. Estima-se que 70% vão morrer por doenças e desnutrição, além de maus-tratos, frio e até traumas. Os demais, com sorte, serão resgatados por protetores ou instituições e levados para lares temporários, ONGs ou Centros de Controle de Zoonoses. -> Confira no final deste post uma lista de lugares onde você pode adotar um amigão!

Adote um adulto!

Na SUIPA (RJ), há quase 4000 animais à espera de um lar. (Foto: acervo Suipa)

Mas a luta não termina aí. A partir do resgate começa uma batalha interminável dos protetores, ONGs e instituições na busca de um lar. São muitas pessoas incansavelmente doando seu tempo e dinheiro – às vezes todo o seu tempo e dinheiro – para prover ao menos cuidados básicos como água, comida, abrigo e remédios para esses peludos tão sofridos.

Adote um adulto!

Uma protetora do bairro do Pari, em São Paulo, abriga cerca de 60 cães, sob péssimas condições de saúde e higiene. Todos os dias, após o horário de almoço, ela busca as sobras dos restaurantes da região para alimentar aos cães e a si mesma. (Foto tirada em janeiro de 2014.)

Para os filhotes, o lar costuma chegar mais rápido. Para os adultos, a realidade é outra.

Estima-se que, de todos os cães adultos que vivem em abrigos, apenas 1% consegue ser adotado. Os demais vivem até os últimos dias sem saber o que é ter uma família, sem sentir o calor das mãos dos tutores num afago, sem saborear um petisco, sem saber o que é um passeio agradável, sem sentir o que é ser amado. E por que isso acontece? Porque uma grande parcela dos adotantes só tem olhos para os filhotes: por acreditar que eles se adaptam melhor à família, por acreditar que eles podem ser treinados com maior facilidade e, é claro, por sua carinha fofa irresistível.

Agora pare um pouco e reflita sobre esses senhorezinhos peludos:
  • Será que eles não merecem uma oportunidade de sentir o que é o amor?
  • Será que não podemos fazer algo para que a vida deles não seja apenas sofrimento?
Adote um adulto!

Sushi foi adotada com 3 anos. Hoje tem 9 e faz parte da Família AnimaTherapy! 🙂

Quando estamos em uma situação difícil, torcemos para que de alguma forma as coisas melhorem. Quando estamos tristes e sozinhos, sentimos a necessidade de amar e ser amado. Quando estamos doentes, queremos um afago de alguém especial, não é verdade? O mesmo acontece com nossos peludos velhinhos. Eles só querem receber amor. Querem alguém que não os julgue por sua pelagem, por sua cor, por sua raça ou, especialmente, por sua idade.

Veja abaixo algumas dicas para você que está na dúvida quanto a adotar um cão adulto ou idoso. Mas vá até o final, hein? É muito importante que você leia tudinho: quem sabe até lá eu te convenço a adotar um companheiro mais maduro, depois de mostrar tantas vantagens…

  • Não se preocupe com o espaço, já cresci tudo!

Adote um adulto!

Quando você adota um cão adulto, sabe que não terá surpresa no futuro: seu tamanho já está definido. Isso permite que você já avalie se o espaço que possui é adequado para o tamanho do cão. O mesmo vale para a sua personalidade. Um cão adulto já tem seus traços definidos: se ele aparenta ser um cachorro calmo, muito provavelmente ele será calmo pelo resto da vida.

  • Me ajeito fácil numa casa nova!

Adote um adulto!

Muito esperto, este peludo “construiu” sua caminha no jardim, para os dias de calor!

Engana-se quem pensa que um cão adulto não é capaz de adaptar-se a um novo ambiente. Eles são mais maduros e conseguem compreender com maior facilidade as mudanças envolvidas na transição de um abrigo para um novo lar. Também são capazes de adequar-se aos hábitos de seus novos tutores e, é claro, à criançada. Pode ser que seu novo peludo tenha sido vitima de agressão e tenha traumas por causa disso. Casos como esses tendem a exigir um tempo maior de adaptação, mas também podem ser resolvidos quando há amor, paciência e compaixão. E, se os problemas não desaparecerem tão rapidamente quanto você gostaria, não aja por impulso. Em vez de pensar em devolver o cãozinho, seja insistente. Lembre-se de que nós levamos muito tempo para aprender tudo o que sabemos hoje e não exija do seu companheiro uma velocidade de aprendizagem de que nem nós mesmos somos capazes.

  • Serei leal até o meu último suspiro!

Adote um adulto!

Engana-se quem pensa que o cão não é capaz de perceber quando a mudança é para melhor. Os cães que já passaram por momentos difíceis nas ruas e nos abrigos sabem retribuir aos que lhe deram a oportunidade de viver melhor. A gratidão é mais do que perceptível: os olhares de felicidade são nítidos e irresistíveis. Não faça o pré-julgamento de que é difícil estabelecer um vínculo afetivo com um cão adulto só por ele não ter sido criado com você. Ele será eternamente grato pela chance que teve. Lambidas de carinho com 100% de garantia e satisfação.

  • Quer ser meu herói? Você pode me salvar de uma morte solitária e triste.

Adote um adulto!

Adotar um cão adulto pode ser a diferença entre a vida e morte. Isso mesmo! Para você, a adoção de um cão adulto ou idoso pode significar um novo cão de estimação em sua casa, mas, para ele, isso pode significar a saída do corredor da morte. Como apenas 1% dos cães adultos consegue um novo lar, você poderá ter certeza de que a sua atitude foi de generosidade, compaixão e amor ao próximo. O cão terá conseguido sua oportunidade de viver melhor até sua hora de ir para o céu.

  • Sou velhinho, mas não perdi a memória!

Adote um adulto!

Eu sou testemunha da capacidade de aprendizagem dos cães adultos. Meu pastor, que resgatei numa estrada de terra, chama-se Lobo e tem entre 6 e 7 anos. Ele adora um petisco (lógico), e por ele foi capaz de aprender novos truques: senta, fica e touch. Ele já demonstrou que a idade não interfere em nada na inteligência e que um cão adulto é plenamente capaz de absorver novos comandos. O cuidado que tenho é o de não fazer muitos movimentos repetitivos, para não lesionar sua musculatura. Afinal, seu corpo já não é o mesmo de antes. Como recompensa pelo aprendizado, além dos petiscos, ele ganha massagens para aliviar a tensão após o treino.

  •  Prometo que não vou comer aquele chinelo novinho, especialmente daquela marca que o Bolota gosta!

Adote um adulto!

Veja o que um filhote é capaz de fazer em minutos! Esta é a Laskinha quando tinha 4 meses de idade. Hoje, com 12 anos, também faz parte da família AnimaTherapy! 😀

Um cão adulto já deixou para trás aquela fase enérgica dos filhote em que qualquer objeto se torna um mordedor saboroso: chinelo (ah, esses são os preferidos), pé da mesa, o canto da parede, a capa de um livro, o tapete da porta, o pano de prato que você esqueceu… ah, e o fio do celular… ufa, quanta coisa. Na fase adulta, é mais atraente ficar quietinho, na caminha quentinha, fazendo companhia aos tutores. Esses velhinhos adoram dar passeios calmos, ficar na frente da TV na sala (ao seu lado, é claro), ou deitar ao pé da cama na hora de dormir. Resumindo, nada de prejuízo com objetos roídos! Como os dentes já estão crescidos, “não preciso roer nada. Só um osso. Afinal, sou um cachorro.”

  •  Pra que pressa? Respire um pouco e vamos caminhar tranquilamente.

Adote um adulto!

Quem nunca se deparou com tutores sendo arrastados pelas ruas pelos seus cães? A energia dos cães ativos, apesar de divertida, pode acabar causando machucados – principalmente em crianças pequenas e idosos. Isso não é bom para o tutor, e é pior ainda para o cão.

Esses problemas são mais raros com os cães mais velhos, que geralmente passeiam com mais calma e tranquilidade, sem puxar nem “arrastar” seus tutores. Um passeio curto já é o suficiente para deixá-los felizes e para manter a saúde. Se possível, passeie antes das 10h ou após as 17h: assim você evita o sol forte e ainda aproveita um estímulo para a produção de vitamina D, ótima para ambos.

  • Está se sentindo sozinho? Eu estarei sempre ao seu lado, mesmo depois que você partir.

Adote um adulto!

Quem viu o maravilhoso filme Sempre ao seu lado sabe do que estou falando. É incrível a sensibilidade dos nossos amigos peludos. E uma característica muito marcante dos cães adultos ou idosos – especialmente dos que vivem em abrigos – é o seu companheirismo. Isso vale mesmo quando seus tutores são jovenzinhos. Estudos demonstram que o nível de percepção desses cães é elevadíssimo, a ponto de sentirem o estado emocional de seu tutor: quando a pessoa fica triste, o cão logo percebe que algo não está bem, e demonstra essa consciência deitando ao lado dela para lhe fazer companhia. Isso já aconteceu comigo. A perda de um irmão amado me fez chorar muito, e muitas vezes meu amado companheiro Kuki ficou ao meu lado para me apoiar e até lamber minhas lágrimas na tentativa de me ajudar. Jamais esquecerei isso e sou eternamente grata ao meu amado companheiro.

  • Não me julgue sem me conhecer! Só preciso de uma oportunidade para mostrar que os adultos e velhinhos não são cães problemáticos.

Adote um adulto!

Aqui nos deparamos com dois problemas. O primeiro é o preconceito de que todo cão que chegou à idade adulta sem ser adotado não foi escolhido em razão de alguma falha de comportamento. Muitas vezes cultivamos essa ideia errônea. Mas é importante lembrar que aquela carinha fofa dos filhotes não dura muito tempo. Basta o cão atingir uma idade aproximada de 6 meses para que boa parte dos adotantes passe a vê-lo de forma diferente: ele já é grande, já é adulto. E aí começa a rejeição motivada por um problema comportamental que nunca existiu: ele apenas não teve a oportunidade de uma casa durante sua curta vida como bebê.

O segundo problema é que, como vemos diariamente nos jornais e nas redes sociais, muitos cães perdem seus lares por motivos que não estão relacionados a desvios comportamentais ou temperamentais, mas por problemas como: “ele cresceu mais do que eu esperava”, “não tenho mais dinheiro para mantê-lo”, “ele não faz as coisas que eu quero”, “preciso mudar de casa e não tem espaço para ele”, “vou viajar nas férias e não tenho com quem deixar”, “mudei meu horário de trabalho e agora não sei o que fazer”, entre outras razões absurdas. E qual é o destino desses cães? Muitas vezes o abandono. Com sorte, um abrigo. E lá estão eles, sendo pré-julgados como problemáticos por estarem ali. É preciso refletir e entender tudo que um cão adulto ou idoso já passou em sua vida até chegar à feira de adoção que você está visitando.

Adote um adulto!

Agora que você já leu todas as dicas sobre os nossos adultos e velhinhos, não se esqueça de uma coisa muito importante antes da adoção:

Reflita com muito carinho e decida com responsabilidade para não agir por impulso. Converse com sua família, tomem a decisão juntos. Tenham consciência de que todos precisarão de paciência e compaixão para receber um novo cãopanheiro. Vocês estarão dando uma chance a um cão que provavelmente já tem uma história de vida muito dura e não merece sofrer novamente. Ele só quer o seu amor!

Adote um adulto!

Este é o Fofão. Foi chamado de “traste” e abandonado pelos seus antigos tutores numa avenida movimentada de São Paulo, por ter ficado cego. No começo de 2014, com 4 anos, foi adotado pela sua nova família e se transformou no cachorro mais amoroso do mundo. E, hoje, quem diria, também faz parte da família AnimaTherapy. 🙂

 

Adotar é um gesto nobre, de compaixão, amor e respeito para com o próximo. Para o cão uma oportunidade de uma vida com dignidade e sem sofrimento, para você a recompensa de uma amizade eterna e de um amor incondicional.

Adote um adulto!

Dê seu like e compartilhe!
error: Content is protected !!