Verão, a estação mais alegre do ano! E, obviamente, a mais quente também! Há quem deteste os meses em que o sol parece que está fazendo hora extra. Há quem ame e comece a contar os dias a partir do primeiro dia do outono para ele voltar. Mas e seu cão? O que será que ele acha de tudo isso?

Sabemos que existem raças que se desenvolveram para habitar climas frios ou extremamente frios, como o São Bernardo, o Husky Siberiano ou o Sheep Dog. Tá na cara (e no corpo deles) – literalmente! – que aqueles casacos naturais de pelos e gordura estão preparados para as mais baixas temperaturas. Mas você sabia que outras raças, mais comuns aqui no Brasil e de pelo curto, como o Pug ou o Buldogue, podem até morrer de calor? Até mesmo nossos amados vira-latas, se não tomarmos os devidos cuidados.

MAS CÃES TRANSPIRAM?

Transpiram, sim! Mas de uma maneira diferente.

Primeiro precisamos desmistificar que os cães não possuem glândulas sudoríparas, pois eles possuem sim! A diferença, em relação a nós, humanos, é que eles possuem uma quantidade menor de glândulas e algumas localizadas nos coxins (ou “almofadinhas das patas”, como costumamos dizer).

E, justamente por eles utilizarem um método diferente para diminuir a temperatura do corpo, é muito importante não expor seu amigão ao calor por muito tempo. E isso inclui roupinhas, cobertinhas, casinhas sem ventilação e principalmente o carro fechado num dia ensolarado! Mas vamos mudar a palavra “transpirar” por “trocar”. Sim, porque é isso que os cães fazem para manter a temperatura do corpo normal em temperaturas quentes: troca de calor. Isso ocorre para evitar o que chamamos de hipertermia, ou seja, o aquecimento elevado da temperatura corporal que pode levar o cão à morte – e rápido.

Os cães são mais eficientes na troca de calor através da ofegação. Quanto mais quente o tempo estiver, mais ofegante os cães ficarão. Quem já não viu aquelas “linguonas” imensas penduradas na boca dos peludos depois de correr ou simplesmente ficar em um ambiente quente? Essa é a maneira que ele faz para se refrescar! É um mecanismo de troca: sai o ar quente que está dentro do seu “corpitcho” e entra ar mais fresco do ambiente que, ao adentrar seu corpo pelas vias respiratórias, tende a resfriá-lo.

“Mas isso significa que eles não transpiram, então?” Não é bem assim, existe um tipo de transpiração por glândulas sudoríparas diferentes das nossas humanos. Elas secretam um pouco de água e, junto com as glândulas sebáceas, formarão aquela camadinha protetora que os cães possuem na pele, o sebo. Por isso não vemos o famoso suor nos cães. Porque desta forma ele se torna imperceptível da mesma forma que nós não conseguimos ver o ar quente exalado, mas eles conseguem se sentir mais refrescados.

E muita atenção se você tem um cão braquiocefálico (que tem um focinho curto) como um pug, um boxer, um buldog inglês ou francês!!!

Você já deve ter percebido que ele não consegue respirar direito já em temperaturas ideais, não é mesmo? Imagina como para ele é difícil fazer esse mecanismo extra da troca de calor em temperaturas elevadas! Então já sabe, nem pensar em levar seu cão para passear em dias quentes e muito menos deixá-lo dentro carro, nem por UM MINUTO!

CUIDADOS NO VERÃO ou em dias muito quentes

 

  1. O principal e mais importante cuidado que você deve ter é assegurar-se de que o ambiente em que seu aumigão está tenha ventilação suficiente. JAMAIS deixe-o preso em um ambiente fechado e sem ventilação, especialmente um carro fechado, mesmo que seja por uns minutinhos!!! Você acabou de ver que é o ar fresco que ajuda a baixar a temperatura do seu corpo. Quando você voltar, você pode não ter mais seu cãozinho vivo!!!
  2. Outro cuidado a se tomar é com os animaizinhos de pele e pelos claros. Jamais os deixe sem uma sombra e água fresca! O sol pode fazer estragos irreparáveis no seu aumigão (não importando a cor), de queimaduras ao câncer!
  3. Garanta que ele esteja SEMPRE hidratado. Troque a água do potinho várias vezes ao dia e ofereça sempre água limpa e fresca (se for possível filtrada ou mineral).
  4. Posso dar sorvete para meu cachorro? De humanos, nem pensar! Eles contém muito açúcar, corantes, saborizantes e outras químicas que fazem muito mal para os cães. Se estiver um dia muito quente e seu cãozinho estiver saudável, você pode oferecer uma fruta congelada (mas se informe direitinho antes quais estão liberadas, pois nem todas podem ser oferecida aos cães, como uva, abacate, carambola, abacaxi ou laranja estão proibidas – entre outras!) ou um cubo de gelo para ele brincar! Tem cão que adora ficar perseguindo um gelinho até ele derreter. Mas cuidado! Se for dentro de casa vai ficar tudo molhado!
  5. Em horas de sol forte, não saia para passear com o seu aumigão no asfalto! As almofadinhas das patas queimam com facilidade! Uma dica boa é você pisar antes, descalça (o), e medir a temperatura do chão com o seu próprio pé. Tá queimando? Então vai queimar as patinhas dele também!
  6. Aplique uma massagenzinha, mas com atenção e moderação! A massagem ativa a circulação sanguínea e isso tende a aquecer o corpo do cãozinho, e ao invés de relaxar acabará deixando seu peludo mais ansioso e com mais calor. Escolher horários mais frescos é o ideal quando for massagear seu cão!

O QUE FAZER se o seu cão apresentar sintomas de hipertermia?

Bom, a primeira coisa a fazer é procurar atendimento veterinário com urgência. Vá até um hospital que tenha pronto atendimento pois talvez ele precise, além da intervenção médica, auxílio de alguns equipamentos, como o oxigênio, por exemplo.

Mas se você precisar agir com rapidez para evitar o pior e ganhar tempo até chegar ao hospital, a melhor forma de resfriar o seu cão é com água a temperatura ambiente.

ATENÇÃO: não é água FRIA, pois poderá causar um choque térmico e o quadro poderá se agravar ainda mais!

Então, água a temperatura ambiente em todo o corpo do cão, pode molhar o corpo inteiro ou colocar uma toalha bem molhada em torno do seu corpo. Bom, o melhor é evitar que tudo isso aconteça para que você não tenha que sair às pressas na tentativa de salvar a vida do seu cão, não é? Ninguém deseja passar por um susto desses, certo?

Por isso recomendamos que siga nossas dicas! Com esses cuidados, você e seu peludo sobreviverão à estação mais quente do ano sem grandes problemas! Prevenir sempre, descuidar jamais! E se você quer ajudar outros tutores com essas dicas, compartilhe essa ideia 🙂

Dê seu like e compartilhe!