Saltos, navegação, equilíbrio, controle e velocidade são alguns dos vários componentes do desempenho do seu atleta de agility.

O corpo do seu cão usa músculos diferentes para realizar ações diferentes. O cão de agility costuma apresentar encurtamento dos músculos posteriores das coxas e rigidez nos quadríceps e glúteos (causados pela contração repetitiva dos pulos). Dor lombar também é comum, uma vez que essa área não é estabilizada pela caixa torácica e, portanto, sofre muita pressão. Na parte frontal, a dor costuma vir dos músculos do pescoço, dos ombros e de trás das omoplatas.

O cão praticante de agility

A massoterapia pode ajudar a aliviar espasmos, contraturas, rigidez e dor muscular causados por uso excessivo, esforço repetitivo e sensibilidade, problemas frequentes no cão de agility.

Uma questão que merece ênfase dentro do tema dos cães de agility é a importância da massoterapia pré e pós-evento. Ela proporciona ao cão a preparação de que ele precisa antes de um treino ou competição, aquecendo seus músculos e estimulando sua circulação sanguínea, e o ajuda a relaxar após o término dos exercícios. Ao oferecer essa modalidade de massoterapia ao seu atleta, você estará oferecendo a ele muito mais do que uma sessão de massagem. Você estará se responsabilizando pela saúde do seu cão, trabalhando preventivamente contra possíveis problemas musculares e locomotores decorrentes dos esforços que a atividade demanda.

Se qualquer um dos itens abaixo se aplica ao seu cão, a massagem canina é altamente recomendável:

  • Treina e / ou compete regularmente;
  • Está derrubando obstáculos em saltos;
  • Não se adapta bem aos equipamentos;
  • Reluta nos ziguezagues;
  • Não se concentra;
  • Perdeu velocidade;
  • Não está estendendo devidamente os membros posteriores ao saltar;
  • Manca após o exercício;
  • Não consegue realizar certas ações com certos equipamentos (por exemplo, saltos longos);
  • Fica rígido / duro após o exercício.
Dê seu like e compartilhe!
error: Content is protected !!